Eu me lembro dos que se foram, eu me lembro de você.

por Ricardo Dih Ribeiro

Para aqueles que ficaram e para aqueles que já partiram não há dia e nem hora quando a saudade se apresenta, e nem sempre os olhos revelam o que nossa alma sente nesse momento.

Nessa hora não importa a forma em que a pessoa expressa a sua religiosidade, a dor da saudade existe e invade sem piedade a nossa alma, e isso está muito além de explicações, terapias, teorias e promessas.

Nesse momento só queremos ouvir o silêncio dos lábios e deixar as lágrimas consumir o tempo do tempo que se foi aguardando de alguma forma o reencontro.“Somos passageiros cegos de um trem imprevisível, onde sabemos que possuímos um bilhete mas nunca sabemos onde é a estação.” Ricardo Dih Ribeiro

Academia do Autoconhecimento

You may also like

Enviar comentário